Conheça as 6 principais tendências de logística para 2019

6 minutos para ler

O controle e a gestão da cadeia de suprimentos já deixou, há muito tempo, de ser apenas um gasto para as empresas e se tornou um importante setor estratégico. Para manter esse título, o gestor precisa ficar atento às tendências de logística e implementar as melhores medidas nos processos da companhia.

Desse modo, a administração da cadeia de suprimentos fica ainda mais precisa e pode gerar diferenciais competitivos para a empresa. Dependendo de como essas novidades são aplicadas é possível reduzir gastos e aumentar a satisfação dos clientes.

Se você faz parte do grupo de gestores que se importa em acompanhar essas atualizações, continue a leitura! Falarei, a seguir, sobre as principais tendências de logística para 2019!

1. Internet das coisas

A Internet das Coisas (IoT) é um conceito que veio para fazer a diferença no mundo. A proposta é bem simples: vários objetos conectados à internet e trocando informações entre si. Isso pode até parecer muito avançado para o mercado atual, mas a verdade é que o custo da IoT está diminuindo ano após ano.

Com a popularização dos aparelhos eletrônicos e a queda no preço da banda larga, o uso de dispositivos conectados em rede está cada vez maior. Atualmente a logística já dispõe de algumas tecnologias bem interessantes que vieram desse conceito.

Um excelente exemplo disso são as prateleiras com sensores de peso e dimensão. Esse facilitador avisa se o produto foi colocado no local ideal, se o palete está devidamente ajustado, se existe chance de quedas etc.

2. Entrega antecipada

Outra inovação bem interessante que está acontecendo é a entrega antecipada. Essa prática visa aumentar a satisfação do cliente por meio de um processo muito bem estruturado de antecipação de necessidades.

Graças à tecnologia que temos disponível, é possível encontrar correlações de consumo. Assim, ao utilizar um bom software de gestão você consegue identificar a tendência de compra dos seus clientes.

Ao antever essa necessidade, sua empresa pode enviar os produtos para um centro de distribuição antes mesmo do pedido de envio chegar. Isso reduz o tempo que o consumidor precisa esperar até receber sua encomenda, o que aumenta sua satisfação e promove sua fidelização.

3. Logística reversa

A logística reversa também é uma das tendências para 2019. Ela consiste em um conjunto de técnicas e ações estruturadas e pensadas para o melhor recolhimento de produtos, de foma ágil e mais barata.

Assim, ela ataca dois importantes processos da gestão da cadeia de suprimentos: o recolhimento de resíduos sólidos e o recolhimento de produtos que os clientes resolveram devolver ou trocar.

No primeiro caso, a logística reversa é obrigatória, já que a Lei nº 12.305/10 exige que as marcas deem um fim adequado a seus resíduos sólidos. Assim, os profissionais de logística precisam encontrar estratégias a fim de reaver as embalagens e demais itens transportados.

Dentre elas, a melhor opção — ao menos até o momento — é usar o caminhão de entrega vazio para recolher os itens que estão disponíveis nos pontos de coleta. Assim, além de reaver o material e promover a reciclagem, a empresa também evita que o motorista volte para a garagem sem carga.

Já com relação às devoluções e trocas a situação é diferente, mas o processo é parecido. Nem sempre os clientes ficam satisfeitos com sua compra e eles podem desistir dela, ou fazer uma troca, em até sete dias.

Para evitar gastos desnecessários, isso também deve ser feito com o uso da logística reversa, aplicando de forma estratégica a rota para a coleta desses itens.

4. Monitoramento em tempo real

Acompanhar o processo de entrega em tempo real, é algo que tanto os clientes quanto os gestores logísticos sentem falta, não é mesmo? Entretanto, essa funcionalidade está deixando de ser uma opção e está se tornando uma obrigação.

Com isso, os dois lados ganham: o gestor acompanha todo o transporte da carga e consegue reavaliar as rotas e entrar em contato com os clientes para informar caso aconteça qualquer imprevisto.

O consumidor, por sua vez, fica ciente do tempo de entrega e pode se planejar para receber a mercadoria.

Além disso, essa tecnologia reduz a necessidade do comprador entrar em contato com a transportadora com tanta frequência. Em vez de ligar ou mandar e-mail, ele recebe um código de rastreio e acompanha todo o processo por conta própria.

5. Dispositivos autônomos

O custo de transportes autônomos, como carros sem motorista, drones e outras ferramentas, tem diminuído ao longo dos anos. Essa tecnologia já é amplamente aplicada por grandes empresas, como o Google, e está sendo inserida no meio comercial por gigantes do transporte, como a Uber e a Volvo Trucks.

A proposta é muito interessante: são meios de transporte não tripulados, equipados com vários sensores e capazes de andar por rotas definidas. Além de toda a automação, também é necessário inserir controladores no processo, que fazem a administração remota de tudo o que acontece com os veículos.

Essa ideia parece um pouco longe da realidade brasileira, mas a iniciativa da Volvo Trucks de transportar calcário autonomamente por um trecho de 5 quilômetros mostra que existe uma grande chance de essa tecnologia ser utilizada no transporte de insumos.

6. Verticalização do armazém

A verticalização dos armazéns não é uma novidade, mas ela também aparece na nossa lista de tendências de logística por um motivo muito simples: as empresas precisam, cada vez mais, cortar gastos e otimizar a utilização de todos os seus recursos para obter a maior margem de lucro possível.

Com armazéns verticalizados é possível aproveitar melhor a alocação de produtos, segmentar cada corredor e usar todo o potencial das empilhadeiras — elas, inclusive, são a peça-chave para que essa estratégia dê certo.

O resultado disso é bem interessante, uma vez que os armazéns podem ser cada vez menores, mais setorizados e eficientes. Isso reduz o tempo de deslocamento das empilhadeiras, diminui o custo de armazenamento e otimiza todo o processo de entrada e saída de produtos e insumos.

Como você pode ver, as tendências de logística para 2019 podem ser inseridas em sua empresa sem grandes dificuldades. Algumas exigem algum investimento, outras precisam apenas de um planejamento mais direcionado. O importante é aproveitar essas novas ideias para melhorar toda a cadeia de suprimentos e garantir o sucesso das suas operações!

Você gostou deste conteúdo? Então, siga a Atento Express no Facebook, Instagram e LinkedIn e acompanhe todas as novas publicações do blog!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-