Conheça os 5 principais modais de transporte no Brasil

17 minutos para ler

Diferentes modais de transporte podem atender empresas com necessidades específicas e, então, oferecer opções mais apropriadas. Essas possibilidades ajudam o sistema logístico nacional a se fortalecer, o que permite que empresas consigam executar suas atividades sem limitações.

Um modal de transporte precisa ser pensado considerando algumas questões fundamentais, desde a necessidade de agilidade até a melhor infraestrutura para a carga em questão. Quando todos os pontos essenciais são considerados, o planejamento logístico é feito com maior precisão.

Neste post você entenderá melhor o que é um modal logístico, quais são os principais e por que a escolha deve ser exata, impactando nos resultados da empresa. Confira!

O que são os modais de transporte?

Modais podem ser definidos como as diferentes possibilidades de transporte de carga, considerando os variados meios e vias para a partida de uma origem até a chegada em um destino. Em meio a essas escolhas, há diversas alternativas e elas atendem as empresas dentro de necessidades bastante específicas.

Há também questões externas que impactam as escolhas, por exemplo, a infraestrutura presente no Brasil. Cada um desses modais, consequentemente, recebeu um certo investimento ao longo dos anos, e isso gerou desenvolvimento. Por conta disso, determinados meios são mais escolhidos, o que também impacta o volume de cargas circulando nos diferentes meios.

Também é importante entender que cada um desses modais de transporte tem custos e prazos diferenciados. Um envio por avião será sempre mais rápido em longas distâncias do que no uso de um modal rodoviário. Em contrapartida, isso também vai gerar maiores custos. A questão é que, em meio a tantas variáveis, cabe às empresas analisarem detalhadamente o custo-benefício de cada escolha.

A infraestrutura e o impacto nos modais

Todo trabalho logístico de uma empresa é impactado por questões externas, ou seja, que fogem totalmente do controle da companhia. Diante desses fatores, o que resta é simplesmente a organização e os ajustes a fim de propor melhores práticas diante de cada dificuldade. No Brasil, a infraestrutura de transportes é justamente algo que impacta a escolha dos modais.

Ainda que empreendimentos tenham diferentes exigências relacionadas a custo e tempo de entrega, nem sempre elas são decisivas para influenciar na decisão. A questão da infraestrutura obriga gerentes e responsáveis por planejamentos a entender de que forma os investimentos, ou a falta deles, influenciam a escolha por um ou outro modal.

Um bom exemplo são as rodovias do país. Extensas e cruzando a maior parte do território brasileiro, elas podem ser a alternativa principal na maioria das vezes, mas, ainda assim, contam com alguns detalhes que geram problemas. A conservação das estradas é o principal fator que faz com que muitas empresas desistam e partam para outros modais, geralmente com maior custo.

A fim de constatação, isso pode ser comprovado diante de um estudo da Confederação Nacional de Transporte (CNT), que apontou que apenas 12,4% das estradas do país estão pavimentadas. No entanto, a questão da infraestrutura não para por aí e vai bem além do modal rodoviário.

A burocracia também é um ponto que prejudica muito o desenvolvimento e o uso mais comum de outras possibilidades, como o transporte aéreo de cargas. São necessários muitos documentos, registros, notas e comprovações antes de despachar uma carga, o que gera muito esforço em simples trabalhos.

Para as empresas, além do desgaste operacional, há também a gestão do tempo. Afinal, a logística gira em torno da agilidade e da organização. Outros que também sofrem com a questão de autorização documental no despacho são os modais hidroviário e dutoviário. Sendo assim, fica mais fácil entender que cada escolha vem acompanhada de prós e contras, especialmente na infraestrutura e operação.

As características do Brasil e como isso influencia os modais

O Brasil também tem características que influenciam a escolha por diferentes modais de transportes, e essa é uma realidade muito concreta. Algumas cidades, por exemplo, não são litorâneas, mesmo sendo grandes metrópoles.

Nesse caos, não resta a elas a possibilidade de um transporte feito unicamente com modais hidroviários, como é o caso do Estado de Minas Gerais e sua capital, Belo Horizonte. Modais hidroviários até poderiam ser utilizados, mas apenas como parte da rota, vindo até Estados vizinhos, como o Rio de Janeiro ou o Espírito Santo. A partir desses locais, o restante do trajeto deveria ser completado com um outro tipo de transporte.

Outra característica que influencia muito a escolha de modais de transporte é o deslocamento interno. Para outros países, levar uma carga de uma cidade a outra é bem mais simples, devido à extensão geográfica de suas áreas. O Brasil é um país grande e, em muitos casos, nem mesmo a logística interna é simples e passível de ser feita rapidamente.

Toda a ampla área geográfica, em contrapartida, também dá a possibilidade de explorá-la de diferentes formas, como os modais ferroviários, ainda que abaixo do que poderia. Todas essas questões específicas do Brasil devem ser consideradas, uma vez que elas têm impacto direto na escolha dos modais e como cada um deles vai atender as necessidades das empresas.

O modal mais utilizado no Brasil e a consequência disso

Todas essas questões relacionadas à infraestrutura do Brasil, as limitações burocráticas dos serviços e suas características geográficas fazem com que alguns modais sejam mais acionados. Isso proporciona diferentes consequências, além de ajudar a entender quais funcionam melhor e por que eles são aqueles mais recorrentes no planejamento logístico das empresas.

Em terras brasileiras, é fácil apontar qual modal é mais utilizado: o rodoviário. Influenciado por diversas questões, esse tipo de transporte é o que mais recebe investimentos e, aliando isso ao baixo custo, há um quadro em que ele é naturalmente o mais solicitado em todo o país.

O Brasil é, inclusive, o país que mais tem concentração de carga nas rodovias em todo o mundo. Nada menos do que 58% do volume de transportação que acontece no país passa pelas estradas, e isso também gera alguns impactos negativos. O primeiro é o alto tráfego em rodovias — o que gera mais trabalho para o planejamento logístico, afinal, o trânsito pode gerar atrasos.

Outra questão de grande impacto é o desgaste das pistas, algo natural devido ao nível elevado de tráfego e à iminente dependência excessiva do modal. Muitos veículos de grande porte transitando ininterruptamente, pouco investimento em manutenção e nenhuma possibilidade de reduzir o fluxo de caminhões para realizar reparos: essa é a combinação fatal para gerar péssimas condições.

Quais são os 5 principais modais de transporte?

No Brasil, há essencialmente 5 possibilidades de modais de transporte a serem adotados pelas empresas: rodoviário, ferroviário, hidroviário, dutoviário e aeroviário. Naturalmente, nenhuma dessas possibilidades é fixa, ou seja, os modais estão disponíveis à logística para diferentes momentos, ainda que apenas para algumas entregas pontuais.

Cada uma dessas possibilidades traz características bastante particulares, inclusive quando consideradas no contexto nacional. Influenciados por questões geográficas, econômicas, políticas e estruturais, esses modais formam um leque de opções no qual você conhece cada uma das alternativas mais detalhadamente a seguir.

1. Modal rodoviário

Mais utilizado no Brasil, o modal rodoviário é funcional e tem um baixo custo. Na prática, para as empresas ele gera apenas custos diretos como combustível e pedágios, principalmente, além de indiretos como a manutenção de veículos. Além disso, o país é inteiramente cortado por rodovias que permitem o deslocamento amplo por toda a sua extensa área territorial.

No modal rodoviário não há praticamente nenhuma restrição de possibilidade de carga, o que o torna ainda mais positivo. Com a devida infraestrutura é permitido levar qualquer volume para qualquer parte do país e, em alguns casos, até mesmo cruzar fronteiras de nações vizinhas.

Em casos de transporte de medicamentos, por exemplo, basta contar com prestadores de serviço que tenham veículos adequados e que cumpram com as exigências da Anvisa, que regulamenta e fiscaliza essas questões. Assim como em outros casos, essa modalidade requer maiores cuidados, algo que depende das empresas e das trasportadoras terceirizadas para realizar as entregas.

Mesmo com todas as praticidades e comodidades que tornam o modal rodoviário o mais utilizado no Brasil, há alguns pontos que deixam a desejar. Como você viu, a má conservação e o alto tráfego de veículos são alguns deles.

Contudo, há também a questão da violência nas estradas, o que gera prejuízos milionários anualmente, e o risco de problemas mecânicos que o estado ruim de conservação pode proporcionar. Tudo isso deve ser considerado no planejamento logístico das empresas.

2. Modal ferroviário

O modal ferroviário é, sem dúvidas, um dos mais tradicionais modais de transporte no Brasil e no mundo. As longas distâncias podem ser um problema para trechos internos, especialmente quando a empresa não tem recursos suficientes para despachar volumes altos. Nesses casos, o transporte por ferrovias é uma excelente alternativa, e isso se dá por dois motivos: a continuidade e o custo.

Um trem para muito pouco dentro de um trajeto, por mais longo que ele seja. Isso representa menor tempo de entrega, ainda que a velocidade não se compare a de um avião, por exemplo. No entanto, com o devido planejamento e a antecipação, é possível escolher esses modais de transporte e ter um desempenho satisfatório, fazendo com que a carga chegue rápido.

O custo é outro ponto que vem como uma grande vantagem na escolha do transporte ferroviário. Os valores são menores até mesmo do que o envio por caminhões, já que não há a incidência de pedágios e as taxas de embarque são reduzidas. Os trens também suportam volumes pesados de carga, o que limita muito pouco, ou quase nada, as empresas que trabalham com entregas de grande porte.

Geralmente, o transporte é feito em contêineres. Eles ajudam a manter os volumes organizados e devidamente separados. Algumas dessas estruturas são também refrigeradas, o que é um ganho importante para quem trabalha com produtos que precisam disso.

Entre os principais fatores contra o modal ferroviário fica, principalmente, o baixo investimento do Governo nessa modalidade. Ainda que ela seja muito útil, poderia ser ainda melhor com o devido suporte. Além disso, as rotas são fixas, uma vez que o deslocamento é feito sobre trilhos, ou seja, há apenas rotas já predefinidas.

3. Modal hidroviário

O modal hidroviário é outra possibilidade que abriga qualquer tipo de volume ao seu rol de possibilidades. Tudo depende justamente de como eles estão comportados, contando com a devida proteção e vedação. Aqui também é muito comum o uso de contêineres — e essas estruturas são muito utilizadas na importação, trazendo os mais variados tipos de cargas de outros países.

O Brasil é um país, em sua maior parte, em contato direto com o mar, claro, com exceção de alguns Estados. A extensão total de seu litoral é de 7.491 km, o que proporciona grandes possibilidades de usar todo esse volume como malha hidroviária, sejam em seus mares, seja em seus rios, também de grande porte e muito úteis à logística nacional.

Diante de tanto potencial, o Brasil soube ao longo dos anos desenvolver a sua infraestrutura portuária, que consegue atender bem ao volume de demanda logística. Com o Porto de Santos sendo um dos mais conhecidos e o mais bem estruturado do país, ainda assim a lista é extensa.

Contra o modal hidroviário está justamente o tempo de transporte que as embarcações levam da origem até o destino dos volumes. É um dos mais lentos, e isso pode ser prejudicial se as empresas não realizarem um planejamento eficiente.

Outro ponto que pesa contra é a burocracia no despacho de volumes. Muitas documentações são exigidas e isso gera uma operação, custo e tempos maiores do que deveriam. Portanto, vale a pena ficar atento a essas questões.

4. Modal dutoviário

O modal dutoviário tem suas particularidades e, principalmente, é direcionado para empresas que transportam combustíveis, líquidos e até mesmo materiais granulados, devido à dificuldade de conduzi-los. A estrutura é simples: são dutos posicionados estrategicamente em portos de grande embarque e desembarque no Brasil, para, assim, facilitar a logística na recepção desses produtos.

A grande questão é que esse modal está associado principalmente ao transporte hidroviário, uma vez que cargas como as de combustíveis são transportadas de outras regiões por navio. A partir da atracagem no porto é que esse material é conduzido ao destino, por meio de um sistema pressurizado.

Além disso, há também a falta de flexibilidade, afinal, só é possível transportar volumes para destinos que sejam cobertos por sistemas de dutos já instalados. Isso faz com que o modal dutoviário seja bastante restritivo. Logo, poucas companhias conseguem fazer uso dele.

5. Modal aeroviário

O transporte aeroviário também é um dos campeões de solicitação no Brasil, com um alto volume diário de envios de diferentes portes. A principal vantagem de utilizar esse modal é justamente a sua agilidade, o que o coloca como o grande campeão nesse quesito entre todos que você conferiu até aqui.

Esse modal também é um dos mais seguros, o que justifica o investimento quando se transporta cargas de alto valor ou até mesmo aquelas que precisam de cuidados mais específicos. Assim, esses volumes chegam rapidamente ao seu destino, evitando questões como a danificação, o extravio e até mesmo o roubo.

No Brasil, a infraestrutura desse modal é muito positiva e totalmente capaz de atender às demandas, já que o país tem bons aeroportos nas capitais, capazes de lidar com o fluxo. O modal aéreo é totalmente flexível por conta disso, o que possibilita trajetos dos mais variados internamente e também em atividades internacionais, no caso de empresas que trabalham com importação e exportação.

O que pesa contra o modal aeroviário é, principalmente, o custo. A manutenção, o combustível e tudo que envolve aviões é realmente caro, e isso tem reflexo direto no valor dos fretes. Poucas são as empresas que podem realmente direcionar toda a sua logística para o transporte aéreo.

Qual a importância do planejamento logístico ao escolher um transporte modal?

O modal de transporte é uma ferramenta que vai levar a carga de um ponto ao outro, ou seja, ele é o fim de todo um processo mais longo. Nesse caso, todo planejamento logístico precisa ser feito considerando como esses modais atenderão às demandas da empresa.

Cada uma das modalidades se encaixarão melhor em determinadas necessidades, assim como seus custos e detalhes operacionais precisam ser profundamente analisados. Esse trabalho mais dedicado permite que o planejamento logístico seja realmente eficaz.

Saiba como conseguir isso por meio de etapas indispensáveis e que garantem a decisão mais acertada pelos modais de transporte ideal!

Definir os modais mais adequados para cada situação

Seja em situações específicas, seja por conta da origem da atividade da empresa, os diferentes tipos de carga vão demandar modais adequados. Isso deve ser considerado sempre antes da escolha por qual meio irá transportar a carga até seu destino.

Entender e definir os custos de cada modal

Fretes de modais têm preços distintos e a avaliação no planejamento precisa considerar o custo-benefício envolto na operação. Nem sempre o modal mais caro realmente vai pesar, considerando a urgência da entrega e o lucro envolvido. O mesmo vale para o mais barato que, em muitas vezes, não atende aos requisitos necessários e pode sair mais caro do que o esperado.

Gerenciar o tempo de entrega

Um planejamento eficaz garante que o despacho de cargas seja feito em tempo hábil. Mesmo assim, há situações em que há maior urgência, e isso reflete na escolha do modal. Antes de definir qual será utilizado, é sempre importante considerar se ele será capaz de cumprir o prazo esperado. Esse é o principal entre os desafios da logística!

Definir questões específicas para volumes especiais

Algumas cargas vão precisar de um cuidado especial, por serem muito frágeis ou passíveis de contaminação. Exemplos como carnes e medicamentos precisam de uma refrigeração especial, e isso deve estar presente nos modais de transporte. Nesses casos, a busca é pelo meio que consiga ser eficiente em todos os requisitos, incluindo a conservação adequada da carga.

Quais são as soluções da Atento Express para o transporte modal de carga?

A Atento Express é uma empresa que está há 16 anos no mercado entregando soluções logísticas multimodais e para cargas de todos os tipos, das mais simples até aquelas que demandam mais cuidados, como as de medicamentos.

Para isso, adequando-se ao cliente e suas necessidades, a empresa trabalha com diversos níveis de serviços. Entre os principais, vale o destaque para o Atento Rodo, Atento Aéreo e Atento Internacional. A seguir, conheça-os melhor e entenda como podem ajudar a usa empresa!

Atento Rodo

O Atento Rodo é para quem opta por modais de transporte rodoviários de qualidade e com ampla cobertura em todo território nacional. O veículo responsável por fazer a entrega é devidamente equipado de acordo com as exigências da carga, garantindo que ela chegue no seu destino no tempo esperado e com a conservação adequada. Estão inclusos nos Atento Rodo as cargas do tipo:

  • fracionada;
  • dedicada;
  • express;
  • porta à porta.

Atento Aéreo

Esse serviço é realizado junto às principais companhias aéreas do Brasil, a fim de garantir a malha necessária com saídas contínuas e para todos os destinos possíveis. O foco da Atento no seu modal aéreo é agir dentro da urgência de cada cliente, garantindo que a carga chegará de acordo com o planejamento logístico desenvolvido.

Para garantir a eficiência dos serviços, o Atento Aéreo conta com a rastreabilidade em tempo real. Assim, tanto a Atento quanto o cliente pode acompanhar o deslocamento da remessa. As modalidades do Atento Aéreo são:

  • Convencional;
  • Dia Seguinte;
  • Emergencial;
  • Hot Line.

Atento Internacional

Cargas internacionais são uma realidade para muitas empresas. Nesses casos, além da segurança necessária, também é muito comum que haja demandas urgentes, o que se torna ainda mais complexo, mas não para o Atento Internacional. Todo o processo é feito desde a documentação de despacho, prestando o apoio necessário para que a carga chegue ao destino a tempo e também sem restrições.

Conhecer cada um dos diferentes modais de transporte e suas características é fundamental para realizar um planejamento eficaz. Isso garante que volumes importantes cheguem no tempo certo e preservados aos destinatários.

Parte de um bom planejamento também é contar com uma transportadora eficiente e que trabalha em diferentes exigências, sempre com competência. Como você viu, a Atento Express é capaz de solucionar suas demandas logísticas de várias maneiras. Entre em contato e saiba mais!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-