Entenda a importância da prevenção de perdas no mercado farmacêutico

6 minutos para ler

Mesmo em tempos de crise e com a economia estagnada, alguns setores do mercado apresentam crescimentos significativos e remam contra a maré de más notícias. É o caso das farmácias brasileiras que, segundo uma pesquisa recente, crescem numa escala constante desde o ano de 2017.

Com isso, novos estabelecimentos são abertos no país, vagas de empregos são geradas, mais empresas especializadas surgem, a economia gira e, diante desse mesmo cenário, desafios passam a fazer parte da rotina — entre eles, a difícil prevenção de perdas no mercado farmacêutico.

Sabendo dessa gravidade e do trabalho constante que as empresas do ramo têm diariamente para evitar o problema, resolvi preparar este post. Nele, você vai encontrar dicas e informações úteis de como este mercado pode reduzir suas perdas e melhorar a eficiência de seus negócios. Sendo assim, continue a leitura até o final e não deixe de tomar nota dos pontos mais importantes!

Por que as farmácias são tão suscetíveis a perdas?

Antes de falar sobre a prevenção de perdas no mercado farmacêutico, vale destacar por que este ramo é tão suscetível a prejuízos. Bom, inicialmente, devo lembrar que o setor é altamente variado, contando não apenas com medicamentos, mas também com cosméticos, produtos de higiene e até de beleza e estética. Com isso, é imprescindível, por menor que seja a empresa, ter um controle mais amplo e detalhado dos seus estoques, pedidos, armazenagens, transporte etc.

Depois, o que ocorre é que muitos produtos são comprados sem critérios científicos, ou seja, sem que passem por uma análise de demanda, desempenho do princípio ativo, gestão de categoria, entre outros pontos. Por isso, acabam tendo um giro menor do que o esperado.

Além disso, vale lembrar que, por lei, é terminantemente proibido realizar ações de marketing ou propagandas para remédios que necessitam de prescrição médica. Esse trabalho de aumento de vendas é limitado às grandes indústrias, que, por sua vez, devem convencer médicos e profissionais que seus medicamentos são a melhor opção para determinados tratamentos.

Por fim, questões operacionais — como problemas de estocagem e o transporte inadequado desse tipo de mercadoria — também são consideradas fatores de risco para a prevenção de perdas no mercado farmacêutico.

Como fazer a prevenção de perdas no mercado farmacêutico?

Por se tratar de um setor altamente delicado e com especificidades bem destacadas, é fundamental que haja um trabalho contínuo e evolutivo de segurança, operação e gestão, que envolva tanto os gestores do estabelecimento ou indústria, quanto suas equipes, parceiros e fornecedores. Para tal, confira algumas dicas que selecionei abaixo e busque colocá-las em prática!

Aumente o controle dos produtos

Conforme citei, o mercado farmacêutico trabalha com uma quantidade quase que incontável de itens variados, cada qual com suas características e especificidades de manuseio, transporte e estocagem. Ao receber tais mercadorias em sua empresa, é fundamental que o responsável saiba, de fato, o que está recebendo, como identificá-las, para onde endereçá-las e qual o seu fim.

Parece óbvio, mas em se tratando de produtos muito diversos e em grandes quantidades, nem sempre esse controle é feito — ou, até mesmo, é viável de ser realizado em determinadas estruturas. Para tanto, é essencial pesquisar sobre sistemas, métodos e ferramentas que visam otimizar esses processos, de acordo com as necessidades de seu negócio e das mercadorias, como capacidade de estoque, tipos de embalagens, temperaturas adequadas, datas de validade etc.

Utilize em etiquetas e antenas antifurto

Desvios e furtos também são fatores críticos para a prevenção de perdas no mercado farmacêutico. No entanto, por outro lado, métodos e ferramentas simples têm se tornado uma alternativa inteligente e segura para controlar esses problemas, como é caso das etiquetas e antenas antifurto.

Os produtos são identificados com uma etiqueta específica, capaz de emitir alertas às antenas que, por sua vez, ficam posicionadas nas portas dos estabelecimentos, evitando que alguém saia com algum item sem realizar o pagamento. Essa ferramenta possibilita reduzir consideravelmente o roubo de mercadorias e, consequentemente, evitar prejuízos e desfalques nos estoques.

Invista em tecnologia

Em plena era digital, a prevenção de perdas no mercado farmacêutico se torna mais viável com o avanço de sistemas e estratégias tecnológicas, tanto para a gestão do negócio como para a sua eficiência operacional. Por exemplo, quando se trata de um estoque muito grande e variado de medicamentos, é imprescindível contar com softwares específicos para o seu controle e gerenciamento.

Além disso, é fundamental que a estrutura do local de estoque seja adequada, com equipamentos e espaços propícios para cada tipo de mercadoria.

Opte por parceiros especializados

Para complementar as dicas de prevenção de perdas no mercado farmacêutico, é primordial que qualquer parceria que envolva diretamente o manuseio das mercadorias seja feita com empresas devidamente certificadas pela Anvisa. Elas também devem ser capacitadas para atender as particularidades do ramo, especialmente quando o assunto é distribuição e transporte.

Afinal, estou me referindo a um setor altamente delicado, com necessidade de entregas multimodais e, em muitos casos, de caráter emergencial. Ou seja, ao terceirizar esses serviços, a empresa precisa ter a garantia desses fatores e avaliar se o prestador tem estrutura e tecnologia para realizar suas entregas, evitando desvios, perdas e avarias.

Além disso, ainda em relação ao transporte de medicamentos, é fundamental que a empresa contratada garanta o monitoramento e o rastreio das cargas, desde a sua expedição até o momento final de sua entrega.

Em resumo, essas são as principais melhores práticas de prevenção de perdas no mercado farmacêutico. Sem dúvidas, trata-se de um ramo distinto e com riscos elevados de perdas, tendo em vista a grande variedade de itens comercializados e com demandas muito características — o que requer conhecimento, capacitação, tecnologia e logística estratégica. Por isso, destaco a importância de se investir em ferramentas, especialização e nas parcerias certas!

Gostou do post? Tenho mais algumas dicas importantes sobre esse assunto! Portanto, confira também o próximo artigo e entenda o que uma empresa precisa ter para realizar o transporte de medicamentos. Boa leitura!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-