(Julho/2019) Guia completo sobre transporte rodoviário de cargas

17 minutos para ler

O transporte rodoviário de cargas é uma importante atividade logística no território brasileiro, já que esse é o principal modal utilizado no país. Com uma extensão de malha rodoviária de 1.720.700 km de estradas e rodovias, rapidamente é possível entender porque essa é a escolha número um.

Além das boas opções de deslocamento por todo o país, o custo-benefício também se mostra muito interessante em comparação com outros modais. Em contrapartida, questões como a violência e a má conservação das estradas jogam contra o transporte rodoviário. Há muita coisa a ser entendida em relação a esse assunto para se ter um panorama completo!

Por isso, este post abordará de forma mais ampla o transporte rodoviário no Brasil, seus pontos positivos, quais problemas são enfrentados, além de como motoristas e empresas podem aproveitar esse modal. Confira!

Qual é o panorama atual do transporte rodoviário de cargas?

Para quem trabalha com logística é fundamental estar atento aos diferentes meios comerciais e suas perspectivas. O cenário atual do transporte rodoviário de cargas tem as suas próprias características, sempre impactado por questões econômicas e, principalmente, em relação ao mercado. A questão é que, no Brasil, sempre haverá um panorama agitado e com o segmento aquecido, tudo por conta da extensa malha rodoviária e do volume de produtos que é transportado diariamente.

A cada dia, novas tecnologias e empreendimentos se apresentam tanto para motoristas quanto para companhias de logística. Essas mudanças precisam ser profundamente analisadas, uma vez que isso favorece o entendimento dos impactos das novidades e da situação atual do mercado na atuação das empresas. O que se pode dizer de maneira mais geral é que o cenário é animador e também traz algumas questões importantes, que serão analisadas mais profundamente a seguir.

O mercado de transportes

O último relatório do Registro Nacional de Transportes Rodoviários de Carga (RNTRC), de 2010, apontou cerca de 161 mil empresas do setor. Hoje, nove anos depois, esse número certamente já cresceu suficientemente para termos a ideia de que há ainda mais concorrência, no entanto, demanda igualmente em escalada.

Em meio a um crescimento fácil de ser percebido, um dos fatores que mais chama a atenção é a especificidade de serviços. Há uma infinidade de diferentes tipos de produtos sendo transportados diariamente e alguns deles têm necessidades específicas. Um transporte de grãos, por exemplo, tem restrições diferentes de uma carga de material que precisa de preservação, como medicamentos.

As diferentes demandas também contribuem para que o mercado seja bastante democrático. Afinal, nem só de grandes players ele é composto. Essa descentralização dá espaço para que negócios de pequeno e médio porte surjam, conquistem mercado e disputem as oportunidades de maneira igual. A competitividade torna o cenário justo e também com mais opções a quem precisa dos serviços.

O público consumidor é outro que também se apresenta diversificado, uma vez que não são só empresas que terceirizam serviços. Algumas transportadoras trabalham com cargas menores ou com uma logística mais ampla. Isso abre contato para que pessoas comuns contratem serviços de transporte para pacotes simples em distâncias das mais variadas.

O crescimento das demandas devido ao e-commerce

O e-commerce é um marco em vários segmentos, como o varejo, a logística de maneira geral e, mais especificamente, o transporte. Do imenso volume de cargas transportadas mensalmente no país, cada vez mais cresce a parcela referente às entregas de lojas online. A comodidade, o aumento da segurança nas transações de compra e o número de sites que vendem e entregam para todo o território nacional aumentou consideravelmente.

O cenário também se desenha para atender essa demanda que, naturalmente, é diferente de outros tipos de cargas de grande volume e peso. Para isso, empresas de transporte logístico tiveram que adaptar sua operação, tanto com caminhões quanto com planejamento logístico. O transporte adequado é apenas um detalhe em meio às maiores exigências que a entrega de mercadorias de e-commerce reserva para as empresas que exploram o segmento.

Prazos são comuns e importantes em qualquer tipo de trabalho com transporte, mas certamente no e-commerce ele é maior. Como o varejo digital é uma alternativa às lojas físicas, a exigência cresce em relação ao tempo para ter os produtos em mãos. Muito desse senso de urgência também está ligado aos novos hábitos do consumidor moderno, ou seja, aquele que tem o dinamismo da era digital à sua disposição.

Por conta disso, empresas que trabalham com entregas de e-commerce precisam de um planejamento logístico bastante estratégico e que seja capaz de atender essas especificidades. Isso garante a exploração adequada do mercado, com a conquista de resultados satisfatórios tanto para a empresa quanto para seus clientes.

O suporte da tecnologia

A tecnologia é fundamental para cumprir esse alto nível de exigências do mercado de transporte rodoviário de cargas focado no e-commerce. São recursos cada vez mais imprescindíveis para as rotinas de companhias de todos os portes e também para o cotidiano de motoristas. O mais importante é que esses recursos se fazem fundamentais ao panorama atual por serem uma base para etapas que vão desde o planejamento até o acompanhamento da entrega de cargas.

Um dos principais recursos utilizados atualmente tem como base tecnológica a inteligência artificial. A proposta é aplicar a capacidade de máquinas no planejamento das rotas, já que os sistemas são capazes de traçar os melhores caminhos para que motoristas tenham seus trajetos otimizados. Seja em trechos urbanos, seja em rodovias, a ideia é conseguir um menor tempo para a entrega, considerando também fatores relacionados à segurança e à preservação da carga e dos veículos.

rastreamento de cargas é outro ponto de destaque que precisa cada vez mais estar à disposição das empresas. Além de ter essa possibilidade de saber onde a carga está, muitas tecnologias aplicadas nos veículos e conectadas a softwares permitem fazer o acompanhamento em tempo real do deslocamento do caminhão com o produto.

Sistemas completos de gestão logística também ajudam em processos mais burocráticos, como a emissão de notas fiscais e a solicitação de autorização de transporte. Esses softwares tornam a rotina das empresas mais ágil e produtiva. Há também módulos que automatizam o cálculo de frete dentro dos padrões das tabelas atualizadas, o que evita qualquer possibilidade de erro.

Quais as expectativas desse tipo de transporte?

Assim como em qualquer outro segmento, há expectativas em relação às mudanças que o mercado de transporte rodoviário de cargas pode passar nos próximos anos. Por mais que outros modais tenham crescido ultimamente, como o marítimo, praticamente não há chances de o rodoviário perder espaço em um futuro mais próximo. Afinal, essa é ainda a melhor opção para as empresas considerando questões como custo-benefício, amplitude de serviços e outros.

Dessa forma, a expectativa fica mais por conta dos detalhes que envolvem o segmento, como os valores de serviços, os direitos trabalhistas dos motoristas e como essas questões impactam as empresas. Por isso, é sempre importante ficar atento ao que se propõe de mais novo no transporte rodoviário de cargas e, principalmente, acompanhar de perto as mudanças que são constantes — e que já estão sendo propostas.

O Marco Regulatório do Transporte de Cargas

Já em trâmite no Congresso, o novo Marco Regulatório do Transporte Rodoviário de Cargas é uma das mudanças que mais geram expectativas a todos os envolvidos nesse segmento. O documento tem 91 artigos e a proposta é melhorar as condições de trabalho de quem atua nessa área. Tanto motoristas quanto empresas saem ganhando graças às novas regras que estão em pauta na regulamentação.

Entre as principais mudanças, estão envolvidas questões relacionadas às melhorias das condições das estradas, melhores valores de pedágio e outros pontos. Vale a pena o destaque para tópicos como:

  • regras detalhadas de segurança nas estradas;
  • condições de contratação de serviços de transporte;
  • condições de pagamento estabelecidas;
  • seguros para motoristas;
  • vale-pedágio.

Além disso, o Marco Regulatório tem como um de seus destaques a abrangência de pautas que são voltadas tanto para autônomos quanto para trabalhadores com vínculo empregatício. As empresas de logística também serão contempladas, então, para elas, também vale manter a atenção às mudanças.

A confiança por parte das empresas

A Confederação Nacional do Transporte realiza uma pesquisa chamada Sondagem de Expectativas Econômicas do Transportador, com o intuito de entender o que as empresas do setor estão esperando para o próximo ano. Em 2018, a pesquisa chegou à sua 10ª edição e o que foi percebido é um grande otimismo por parte dos players do mercado.

Entre os principais pontos abordados, as empresas de transporte rodoviário de cargas se mostram satisfeitas com as novas propostas apresentadas pelo governo para melhorias no segmento. Essa positividade se estende ainda em relação aos resultados econômicos, já que há uma expectativa de que o Produto Interno Bruto (PIB) do país alcance um aumento de 3,2%, enquanto a inflação fique nos 4%.

As questões ligadas ao frete

As novas mudanças foram apresentadas a partir da Lei nº 13.703/18, que já foi sancionada. Foi aberta uma consulta pública sobre os valores, ampliando a discussão para que seja criada uma tabela com preços mínimos dos fretes no Brasil. Além disso, questões mais práticas do pagamento do frete também foram amplamente debatidas, com novas regras já estabelecidas.

A lei afirma que o frete deve ser pago no momento da entrega da carga, sendo feito por depósito na conta do transportador. Qualquer atraso já condiciona uma multa de 10%, com mora de 1% mensais e correção monetária. Transportadores também precisarão comprovar sua movimentação de conta bancária para comprovar renda.

Quais são os principais desafios encontrados nesse tipo de transporte?

Contratantes de serviços de transporte sempre avaliam as diferentes questões ligadas aos modais. Por exemplo, é fácil detectar as vantagens do transporte aéreo de cargas, como a agilidade, mas também há outros fatores, como o alto custo. No setor rodoviário, apesar de todas as facilidades apresentadas, há muitos desafios que precisam ser superados diariamente, seja pelas empresas, seja pelos motoristas.

Nesse sentido, o transporte rodoviário de cargas precisa encarar essas dificuldades já que, muitas vezes, elas colocam em risco até mesmo a integridade de quem trabalha nas estradas do país. Muito além de valores, há questões mais profundas que estão sempre em discussão e precisam ser consideradas. Confira a seguir quais são esses principais desafios!

Má condição das estradas

Problema quase crônico no Brasil, a infraestrutura das estradas deixa muito a desejar, o que é realmente algo difícil de entender, diante da amplitude de volume de cargas que transita diariamente. Em meio a tantas demandas, o natural seriam investimentos proporcionais para que as condições fossem as melhores. Do ponto de vista financeiro, pouco dos valores provenientes de pedágios, por exemplo, são direcionados para melhorias estruturais que necessitam ser feitas.

Alguns dados chegam a assustar quem não está tão atento ao quadro atual: só 14,2% das estradas no Brasil são pavimentadas. O percentual pequeno é um reflexo da falta de atenção para as melhorias necessárias e que ajudariam ainda mais o desenvolvimento do setor de transporte de cargas no país.

As consequências desse quadro de descaso e abandono são vistas de diversas perspectivas, sendo a principal delas a segurança. Pistas sem pavimentação e com baixa conservação se tornam um fator de risco para motoristas quem precisam lidar com os mais diversos trechos. Em condições específicas, como dias de chuvas fortes, a segurança fica ainda pior, e o impacto direto é o atraso no tempo de entrega dos volumes.

Há também o aspecto dos prejuízos mecânicos — o transporte rodoviário de cargas sofre bastante com as consequências dessas condições ruins de rodovias no que diz respeito à manutenção de veículos. Se as estradas não são adequadas, naturalmente isso vai resultar em problemas em frotas e, ainda pior, impactos diretos em trabalhadores autônomos, que têm menos capital para lidar com manutenções emergenciais.

Defasagem do valor do frete

A defasagem de valores do frete foi um dos principais problemas que transportadoras e trabalhadores autônomos tiveram que lidar ao longo dos anos. Muito dessa falta de acompanhamento dos preços se deu por conta das recentes dificuldades econômicas pelas quais o Brasil passou ao longo dos três últimos anos. Em recessão, foi difícil haver esse aumento dos valores, uma vez que a preocupação era manter o volume de demanda, mesmo que com um preço já defasado.

Como você viu, a lei 13.703/18 já trata da renovação da tabela base de cálculo, o que foi um avanço. Contudo, de modo geral, é mais uma correção de preços. O ideal era que o frete, com o passar do tempo, sofresse reajustes básicos, assim como outros serviços de diferentes segmentos geralmente passam. A defasagem ainda é um desafio que, pelo menos por hora, es†á sendo encarado com suporte.

Roubo de cargas

Nunca na história do transporte rodoviário de cargas no Brasil houve tamanha preocupação com a segurança. O momento crítico pode ser traduzido em números assustadores: só em 2018, o número de roubos de cargas chegou aos 22 mil. Em contrapartida, diante de uma perspectiva mais otimista, é importante destacar que, em relação à 2017, esse número teve uma queda de 14,45%.

O problema gira em torno de verdadeiras quadrilhas organizadas que dão prejuízos de porte quase que inimaginável. Em último levantamento, realizado em 2018, os valores totais no país chegaram a R$ 2,5 bilhões. Para empresas, isso significa um problema enorme, ainda que haja a possibilidade de realizar o seguro das cargas.

Acontece que, com uma recorrência tão grande desses acontecimentos, as seguradoras já não têm mais tanto interesse em trabalhar com volumes, especialmente de caminhões que passam por trechos urbanos de rodovias, como no Rio de Janeiro. A cidade concentra 40% do problema no Brasil, agindo no ataque às cargas mais fáceis de serem vendidas clandestinamente, como cigarros, eletrônicos, vestuário, entre outras.

Restrição de circulação em centros urbanos

A circulação de caminhões em centros urbanos é uma realidade muito comum em grandes Estados, como São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais. Não coincidentemente, nessas regiões há restrições que impedem que veículos de grande porte dividam espaço com veículos de passeio em horários comerciais. A medida é aplicada para proteger a infraestrutura de transporte das cidades, mas, consequentemente, torna-se um verdadeiro desafio ao transporte rodoviário de cargas.

Por conta das restrições, autônomos e transportadoras precisam sempre rever o seu planejamento logístico quando os trajetos cruzam as áreas urbanas dos Estados. Cada cidade tem suas próprias regras mas, geralmente, essas limitações são direcionadas para que caminhoneiros tenham liberdade maior apenas em períodos noturnos, incluindo a madrugada. Isso gera um desgaste natural e também impacta o tempo de entrega da carga, o que pode gerar perdas financeiras.

Adoção de novas tecnologias

As novas tecnologias são fundamentais para quem o transporte rodoviário de cargas chegue a um novo patamar na entrega de serviços qualificados. No entanto, para muitas empresas e profissionais, esse período de transição e de aplicação das novidades pode ser um tanto quanto difícil, o que é parte comum das mudanças. Fundamental nesse contexto é que todos estejam engajados para, rapidamente, absorver os novos recursos e entender como eles trarão vantagens à atuação.

Às transportadoras, cabe a missão de orientar da melhor forma os seus profissionais. No que diz respeito aos motoristas, ou seja, nas tecnologias que eles farão uso, os treinamentos podem ser a melhor forma de garantir que tudo será entendido o mais rápido possível. Os novos recursos tecnológicos têm a simples missão de tornar a rotina, a gestão e o planejamento mais produtivos, então, quanto mais rápido tudo for absorvido, melhor para todos.

Como encontrar a melhor empresa para realizar esse tipo de transporte?

Para negócios que precisam terceirizar o transporte de seus produtos, contar com um prestador de serviços competente e qualificado é fundamental. A questão é que isso envolve uma busca que precisa ser baseada em uma série de fatores que fazem toda diferença.

Como você já viu neste artigo, há empresas de todos os tamanhos e, principalmente, especialidades. O ideal é encontrar aquela que ofereça as melhores condições, considerando aspectos financeiros e também de preservação à carga. Veja a seguir as melhores dicas para contratar a transportadora certa para o seu negócio!

Entenda as necessidades do seu negócio

Empresas têm diferentes necessidades, restrições e até mesmo exigências legais a serem cumpridas no trânsito de seus volumes. Um exemplo muito comum é quanto ao transporte de medicamentos, em que há a regulamentação da Anvisa em relação às condições de temperatura, proteção da carga, manuseio e outros detalhes. A questão é que nem todas as empresas do mercado oferecem suporte qualificado para transportar esse tipo de produto.

Por conta disso, nessa busca é necessário achar um prestador que tenha a capacidade técnica de proteger o seu volume e garantir que ele chegue nas melhores condições até o destino. Esse deve ser o primeiro parâmetro utilizado para direcionar a sua pesquisa no mercado.

Pesquise amplamente as opções

Nem sempre será fácil encontrar esse prestador de transporte rodoviário de cargas que atenda às demandas da sua empresa inteiramente. Nesse caso, o trabalho de pesquisa deve ser mais profundo e detalhado, até que chegue às melhores condições possíveis. Há várias formas de chegar à transportadora ideal, e o mais importante é ir atrás de informações sobre outros concorrentes da sua categoria de mercado.

Quais prestadores de serviços eles geralmente contratam? Esse pode ser um bom indicador de que você está diante da melhor opção de transporte para a sua empresa. Faça uma pesquisa cuidadosa e dedicada para que o resultado seja a certeza de contar com um negócio competente, que cuide das suas entregas. Essa busca também deve considerar o custo-benefício, fator muito importante, especialmente em longo prazo.

No decorrer da leitura, você entendeu melhor como o transporte rodoviário de cargas no Brasil tem suas próprias características e em que estágio ele se encontra no momento. Apesar do baixo investimento em infraestrutura, a perspectiva é de que o setor continue com muitas requisições, o que financeiramente se mostra muito animador.

Se você está em busca de uma transportadora com foco na área de saúde, a Atento Express é uma das líderes de mercado, oferecendo opções multimodais para todos os bolsos e urgências. Visite nosso site e conheça melhor nossos serviços!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-