Logística de medicamentos: conheça os cuidados e os desafios da área

6 minutos para ler

A logística de medicamentos é cheia de particularidades que geralmente não ocorrem no manuseio e no transporte de outros tipos de produtos. Isso acontece, na maioria das vezes, porque esses itens apresentam uma maior sensibilidade às variações de temperatura, umidade e iluminação.

Desse modo, é primordial manter um cuidado com a qualidade no armazenamento, no envio e no manuseio para que os remédios ainda estejam adequados quando o consumidor receber. Nesse sentido, para garantir a integridade das propriedades químicas, as organizações têm adotado sistemas de transporte especiais.

O planejamento logístico é, portanto, fundamental, pois ele é capaz de organizar a quantidade de materiais, informações e pessoas com a finalidade de alcançar bons resultados para a empresa. Continue a leitura e conheça os cuidados e os desafios da logística de medicamentos!

Quais são os principais cuidados no transporte de medicamentos?

É fundamental contar com métodos para conservar bem os medicamentos, pois eles não podem chegar alterados nas mãos dos clientes. Saiba os cuidados que o empreendedor precisa ter!

Realizar uma gestão de estoque eficiente

A garantia de qualidade das mercadorias já precisa ser iniciada antes mesmo da etapa de transporte, principalmente se um mesmo operador logístico é, também, responsável pelo processo de armazenagem. Não há efetividade em estruturar o local de distribuição, se não há o mesmo cuidado no estoque — isso afeta a eficácia dos medicamentos.

Utilizar embalagens e veículos adequados

Vários compostos ativos dos remédios são alterados se forem colocados em condições inadequadas de conservação. Dessa maneira, é primordial cuidar tanto das embalagens quanto dos veículos.

Caso o medicamento solicite uma temperatura menor que a do ambiente, o transporte precisa ser capaz de refrigeração e isolamento térmico até a finalização do processo. Existem situações em que também os produtos frágeis precisam de embalagens térmicas específicas ou de proteção-extra.

Todas as recomendações são indicadas pelos fabricantes e reforçadas pelos especialistas. Elas precisam ser obedecidas à risca e, diversas vezes, isso significa fazer apenas o transporte de medicamentos iguais.

Além do mais, é necessário se preocupar com as questões de umidade, iluminação e incidência solar. Todos esses fatores devem ser levados em consideração, bem como a higiene na parte de dentro do transporte e o isolamento de possíveis contaminantes.

No caso dos veículos, é fundamental realizar a conferência para evitar vazamentos ou a alteração de certas características do produto. Se o meio de transporte escolhido apresenta propriedades de refrigeração, compressores e gases que diminuem a temperatura, eles devem ser verificados para que não aconteçam possíveis mudanças.

Contar com um profissional farmacêutico

Umas das principais obrigações para o manuseio de medicamentos é a presença de um profissional capacitado, já que ele será responsável por conduzir várias situações referentes à preparação. Por exemplo:

  • certificar-se que todos os itens são registrados e de empresas autorizadas;
  • gerenciar o cumprimento da legislação sanitária;
  • criar rotinas para a higienização dos transportes e controle das condições ambientais;
  • capacitar os funcionários envolvidos;
  • autorizar ou cancelar o transporte de diferentes medicamentos no mesmo veículo, entre outros.

Dessa forma, para a instituição, é vantajoso ter esse suporte. Pois, como o profissional é especializado, existem maiores chances de cumprir tudo o que obriga a lei.

Quais são os maiores desafios da área da logística de medicamentos?

A logística de medicamentos enfrenta alguns desafios no seu dia a dia, como o cumprimento de normas e uma boa infraestrutura. Conheça os principais e saiba o que precisa ser realizado para lidar com esses cenários!

Seguir padrões de qualidade da Anvisa

Um dos maiores desafios é garantir os padrões de qualidade estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que é a instituição fiscalizadora das tarefas exercidas pelo setor. Esse órgão regulamenta todas as atividades da indústria farmacêutica, o que eleva a dificuldade durante o desenvolvimento dos processos.

Dessa maneira, o setor precisa cumprir com a regras estabelecidas pela Anvisa para operar toda a mercadoria do setor de forma correta. Entre elas, podemos mencionar:

  • esclarecer a respeito dos tipos de medicamentos comercializados pela organização que são classificados como perigosos e controlados;
  • elevar os cuidados no manuseio de itens perecíveis, para os quais cada negócio farmacêutico pode apresentar, além dos padrões solicitados pela Anvisa, seus próprios procedimentos;
  • descrever as fases das operações de estocagem e transporte;
  • informar os aspectos da operação em relação à utilização da mão de obra, funcionamento, processo de carregamento das coletas e processo de devolução da mercadoria;
  • informar a respeito das movimentações tributárias da instituição.

Treinar a equipe adequadamente

A indústria farmacêutica é um mercado de trabalho muito cauteloso e, portanto, solicita muito profissionalismo dos colaboradores para efetuar suas atividades. Por essa razão, é primordial que todos os envolvidos nos processos estejam bem capacitados.

Então, alguns cuidados com a entrega e o armazenamento para conservar a a estrutura química dos produtos devem ser levados em conta, como:

  • seguir cuidadosamente as indicações dos fabricantes em relação à umidade, exposição à luz, temperatura e outros aspectos que afetam na qualidade dos medicamentos;
  • manter o zelo das embalagens, que precisam ser estocadas de maneira eficiente e segura;
  • certificar o lote dos medicamentos com exatidão;
  • garantir a segurança na entrega das mercadorias, visto que elas são visadas por pessoas que desejam prejudicar a lucratividade da organização.

Com a finalidade de trabalhar melhor essas tarefas, o colaborador precisa estar muito bem capacitado. O resultado é que, com equipes treinadas, qualquer possibilidade de adversidade aos medicamentos na hora do armazenamento é reduzida, assim como na locomoção e na separação dos produtos.

Ter um local com boa infraestrutura

Vários medicamentos são enviados para a distribuidora sem a embalagem correspondente e precisam ser separados e embalados adequadamente. Nessa situação, é importante que a organização tenha uma boa infraestrutura para realizar esse tipo de tarefa.

Assim, a peça-chave para isso é o galpão logístico, pois, além de diminuir a distância entre a indústria e seu estoque, ele facilita que a atividade seja realizada em um ambiente preparado, que atenda às exigências solicitadas pelo órgão fiscalizador.

Além do mais, a distribuidora precisa de certificações e licenças de boas ações de manipulação de medicamentos, o que exige que o local para desenvolver as atividades apresente um profissional capacitado para esse fim.

Portanto, as características da logística de medicamentos fazem com que as indústrias sejam muito cuidadosas no desenvolvimento de seus processos. E, é claro, para conseguir resultados eficientes e evitar perdas, a escolha do transporte adequado e equipado com as ferramentas para a preservação da integridade dos medicamentos se faz essencial.

Gostou do nosso post? Então, veja também o que uma empresa precisa para realizar o transporte de medicamentos!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-