Você já conhece o efeito da Internet das Coisas (IoT) na logística?

7 minutos para ler

Em plena era da logística 4.0, é normal que, cada vez mais, o setor de transportes e armazenagem seja movido a novas tendências e atualizações constantes de métodos, ferramentas e tecnologias. Neste avançando cenário, podemos destacar a Internet das Coisas na logística e como ela está sendo capaz de transformar processos e empresas de forma surpreendente e rápida.

Pensando justamente nisso, resolvemos preparar um post exclusivamente para abordar esse assunto e mostrar as vantagens e benefícios que sua empresa pode obter ao conectar suas ferramentas e objetos à era digital. Sendo assim, sem mais delongas, vamos conferir as dicas!

Afinal, o que define a Internet das Coisas (IoT)?

O conceito de IoT — ou, no português, Internet das Coisas — se refere a uma evolução tecnológica capaz de conectar aparelhos, ferramentas ou qualquer tipo de dispositivo à internet.

Para se ter uma ideia mais ampla, uma pesquisa recente alertou que, até 2020, mais de 50 bilhões de dispositivos estarão conectados e funcionando por meio da internet. Em números financeiros, isso deve representar uma movimentação de US$ 8 trilhões para a economia mundial.

Essas “coisas” conectadas nada mais são do que qualquer objeto ou ferramenta imaginável da vida moderna, desde um forno de micro-ondas na residência de uma família até o maquinário mais avançado de uma indústria, por exemplo. A partir do momento em que essas ferramentas passam a ganhar autonomia com uma conexão online e, com isso, realizar tarefas, já podem ser associadas ao conceito de Internet das Coisas (IoT).

E quais os impactos da Internet das Coisas na logística?

Considerando o conceito que acabamos de explicar, a Internet das Coisas se faz presente em qualquer setor corporativo que dependa de ferramentas tecnológicas, o que evidentemente inclui a logística. Antes de citar exemplos práticos da IoT na logística, queremos destacar os principais impactos que isso tem trazido ao setor em geral.

Em primeiro lugar, a Internet das Coisas na logística possibilita uma redução significativa de custos, já que o uso de sistemas, máquinas e ferramentas tende a otimizar processos e métodos, agilizando as etapas de execução, além, claro, de evitar e até eliminar erros e falhas, mais comuns em procedimentos manuais.

Depois, podemos afirmar que a Internet das Coisas na logística proporciona eficiência e eficácia em praticamente todos os processos operacionais e de gestão, impactando, consequentemente, a lucratividade e produtividade das empresas.

Para provar tal feito, a mesma pesquisa citada no tópico anterior destaca que só o setor de distribuição e armazenagem deve movimentar a mais, nos próximos anos, US$ 1,9 trilhão por causa da IoT.

Na prática, o que pode ser implantado nas empresas com a Internet das Coisas na logística?

Acredite: não há uma resposta única para essa questão, e podemos dizer que a Internet das Coisas na logística é um campo aberto e muito amplo, impossível de prever ou de estipular um limite. Vivenciamos avanços e o surgimento de novas tecnologias, conceitos e métodos no setor de supply chain a cada dia — e, pelo menos até o momento, nada indica que esse cenário vá mudar ou esfriar.

No entanto, abaixo, separamos uma pequena lista de exemplos e tendências que fazem parte do conceito de Internet das Coisas na logística e que podem, facilmente, ser implementados em sua empresa. Vamos conferir?

Estruturas inteligentes de armazenagem

Já foi o tempo em que a armazenagem era considerada uma mera atividade operacional nas empresas, se limitando ao estoque dos produtos e insumos. Hoje, ela é vista como etapa estratégica de qualquer negócio. Assim, dentro de uma cadeia de suprimentos, conseguir otimizar a movimentação interna do armazém, assim como garantir maior eficiência da estocagem, pode render resultados bem positivos e até impactar a experiência do cliente.

Para exemplificar, podemos destacar algumas estruturas inteligentes e automatizadas presentes nos mais modernos armazéns logísticos de hoje, como sistemas de picking automático, que utilizam esteiras, trilhos, elevadores e carros conectados ao software de gestão de estoques. Até pouco tempo atrás, isso era impensável!

Otimização da logística inbound

Ainda por dentro do armazém, vale destacar como a IoT foi capaz de transformar a logística inbound, ou seja, toda a movimentação interna dos produtos e insumos de uma empresa, desde o seu recebimento, identificação e endereçamento até o picking e a expedição final para a entrega.

Se compararmos a um tempo nada remoto, em geral, todos esses processos eram operacionais e feitos de forma manual, o que acarretava o aumento de erros, extravios, perdas e avarias das mercadorias.

Hoje, com a Internet das Coisas na logística, há uma infinidade de ferramentas e sistemas que otimizam cada etapa e, consequentemente, proporcionam mais eficiência à empresa. Quer exemplos práticos? O uso de códigos de barras, etiquetas RFID, coletores de dados, sistemas WMS e muitos outros podem exemplificar claramente esses avanços na logística inbound!

Roteirização de rotas eficientes

Qual empresa, em plena era digital, ainda designa uma função a um profissional, exclusivamente, para traçar as rotas melhores no mapa de entrega? Hoje, há uma infinidade de ferramentas e tecnologias que calculam e traçam os caminhos mais eficientes de suas entregas, levando em consideração uma série de fatores importantes, como custos da viagem, distância, segurança etc.

Aliás, nem é preciso investir ou comprar tal tecnologia para se destacar no mercado. Afinal, ao contar com um parceiro estratégico para suas entregas, por exemplo, já é possível se firmar nesse tipo de ferramenta e terceirizar o serviço da roteirização.

Monitoramento e rastreabilidade em tempo real

Quem já é um pouco mais experiente no setor de entregas deve se lembrar bem que, até pouco tempo atrás, para se passar uma previsão mais exata para um cliente ou saber a real posição do caminhão, o jeito era ligar e “correr atrás” do motorista, não é mesmo? Hoje, isso se mostra inviável. ainda que haja organizações insistindo em tal método obsoleto!

Com o avanço da Internet das Coisas na logística, é possível monitorar e rastrear suas cargas em tempo real e na palma da mão, garantindo informações muito mais precisas, com mais segurança e confiabilidade nas entregas. Além disso, qualquer desvio, mudança de rota ou parada não programada é facilmente detectado, podendo, inclusive, disparar ações de bloqueio do veículo, se necessário.

Enfim, esses são alguns exemplos de como a Internet das Coisas na logística é capaz de otimizar e trazer mais eficiência à sua empresa. Vale ressaltar que boa parte dessas tecnologias não requer investimentos grandes, considerando que a terceirização de parceiros estratégicos pode ser a alternativa mais viável e inteligente a ser seguida.

Gostou do post? Então, não deixe de curtir a nossa página do Facebook e ficar por dentro das próximas atualizações e novidades sobre o mundo da logística!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-